Bicicletários Imaginários

quarta-feira, 7 de setembro de 2016

No Largo da Batata...

Uma vez eu vi uma ação na internet, onde um grupo colocou faixas móveis de segurança para  pedestres em torno do Largo da Batata... Foi a minha primeira lembrança gravada deste lugar, momento em que criei um laço imaginário afetivo com este espaço de São Paulo. Nunca pensei em estar lá... Bem, o mundo dá voltas...


Nos onze dias de agosto em que estive em São Paulo, em todos eles, eu dei uma voltinha no Largo da Batata, com  a minha bici Sarah...


Para minha felicidade de "Bike Anja" em Porto Alegre-RS, consegui participar de uma ação EBA  do Bike Anjo-SP, "Começar a Pedalar na Cidade", onde ajuda quem tem algum receio em sair pedalando no trânsito. [Mais informações: http://www.bikeanjo.org/projetos/programaebasp]


A  prefeitura cedeu o espaço para o Bike Anjo dentro do Largo da Batata, para  deixar ali um container, onde ficam guardados muitos dos materiais e bicicletas utilizados nos eventos.

Foto: Bike Anjo Pedro Vasconcelos Wandalsen.

Aqui o retrato da aula teórica do projeto EBA do Bike Anjo. Conversamos sobre componentes da bicicleta, acessórios obrigatórios, leis de trânsito...

 Foto: Bike Anjo Pedro Vasconcelos Wandalsen.

Foto de outro momento da ação, mas na prática: eu, observando como o amigo e Bike Anjo Marcos ensina técnicas de equilíbrio para perder o medo ao pedalar.

Fiquei bastante feliz, pois nunca havia participado de algum EBA em Porto Alegre-RS.  Também, nunca havia tomado contato com alguma divulgação, ou visualizado qualquer movimento assim antes de abril deste ano... Enfim... Estou bem contente e confiante que a equipe atual do Bike Anjo da nossa região está se estruturando para as ações. AGORA VAI!!! :D 

Foto: Bike Anjo Pedro Vasconcelos Wandalsen.

...Um outro atrativo importante no Largo da Batata, é o bicicletário privado, porém gratuito... Estação Bike. Fiz uso por algumas poucas horas, quando decidi me aventurar a ir de metrô ao centro. 


A equipe é alegre e bem atenciosa: eles fotografam a bicicleta e o nosso rosto, realizam um cadastro com um documento de identificação e telefone, passam uma trava na bicicleta e nos entrega a chave. Temos até 72 horas para retirar a bicicleta dali e na retirada devemos devolver a chave da trava que nos foi entregue e mostrar um documento de identificação. Gostei bastante! Quero isso também na capital gaúcha! 


Sobre o trânsito em geral, em São Paulo senti um respeito maior entre modais. Os veículos realmente param quando um pedestre demonstra a intenção de atravessar na faixa. Soa como um absurdo, eu sei, mas em Porto Alegre os motoristas ainda tem muito que aprender... o trânsito é bem complicado. Outra diferença que notei, é que as praças públicas possuem bicicletários, diferentemente das nossas da Capital do Rio Grande do Sul... Ai,ai...[suspiro] eu moraria facilmente em São Paulo!


 ...Largo da Batata! Ali eu curti o sol e a garoa... cantei, dancei, agradeci,
sorri e gargalhei! Não necessariamente nesta mesma ordem! Ô, saudades!


#bicicletariosimaginarios #pegaabicicletaevai #forçanapaçoca 




Saiba um pouco mais sobre o Largo da Batata...

Largo da Batata é um logradouro público localizado no distrito de Pinheiros, na cidade de São Paulo. Situa-se na confluência da avenida Brigadeiro Faria Lima e das ruas dos Pinheiros, Teodoro Sampaio, Cardeal Arcoverde, Baltazar Carrasco, Martim Carrasco, Chopin Tavares de Lima e Fernão Dias.

Abriga a Estação Faria Lima da Linha 4-Amarela do Metrô e o terminal de ônibus Largo da Batata.

Há registros da ocupação da região por indígenas por volta de 1560, ano que marca a fundação do bairro de Pinheiros. Os Índios Guaianás teriam sido transferidos da Vila de São Paulo de Piratininga para a região, onde foi fundada a capela de Nossa Senhora da Conceição, pelos jesuítas José de Anchieta e Manuel da Nóbrega.

Já no século XX, foi fundado o Mercado Caipira, mercado de produtos agrícolas e, a partir de 1909, foi construído um mercado municipal, fortalecendo sua característica comercial. É conhecido como Largo da Batata desde a década de 1920, por concentrar vendedores de batatas, próximo à Cooperativa Agrícola de Cotia.Porém, apenas em julho de 2012 recebeu o nome oficialmente, pela Lei nº 15.615/2012.

Possui também importância histórica no transporte, recebendo na década de 1930 bondes elétricos que ligavam o bairro ao centro da cidade.

Desde 2007, passa por requalificação urbana.

Em 2013 entrou para a história como o ponto de concentração que reuniu milhares de pessoas em 17 de junho no 5º Ato contra os aumentos na tarifa dos transportes no estado, organizado pelo Movimento Passe Livre.

[Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Largo_da_Batata]

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

O Beco do Batman...

...e a leitura dos bicicletários e do destino...

Dia 1º de junho, o último dia em que estive em São Paulo, na época do Evento Bicicultura, fiquei de ir no Beco do Batman. Acordei bem cedo, tomei café e quando fui pegar a minha bicicleta Sarah, vi que ela estava com o pneu dianteiro todo murcho.
 

...Entendi que aquilo foi um aviso de pausa. Troquei a câmara, pensei, refleti sobre várias coisas... e resolvi deixar esta visita para quando retornasse...


Dia 2 de agosto, já de volta, em solo Paulistano... depois de fotografar a minha Índia [guerreira e protetora], de rever alguns queridos amigos... fui pro Beco do Batman!!!

Os meus olhos percorreram cada pintura, escolhendo uma a uma, pontualmente... As contemplei, como se eu acabara de virar algumas cartas de um baralho de tarot...

 Love, love, love, love, love...

Beija-flor... pequeno amigo feliz. Caçador de néctar. O amor que você distribui, contém a doçura das mais belas flores...
 
Foi uma grande felicidade ver estas duas pinturas, pois fez lembrar do beija-flor que mora na vizinhança. Quando eu saio de bicicleta, ou retorno, ele voa na minha frente, na altura dos meus olhos... pra me fazer lembrar que todos os gestos devem ser livres, leves e encantadores...

No mundo dos sonhos... é onde nos enlaçamos, na verdade do que sentimos... Como diria Vinicius de Moraes,  "A vida é a arte do encontro, embora haja tanto desencontro pela vida."

Urso Polar... Convide-me à sua caverna do silêncio, onde as respostas são silêncio também... Onde um olhar diz tudo...

 No ballet da vida... todo dia morremos e renascemos...

 A árvore e a flor-de-lótus...
A beleza e a superação...

Eu? VIVENDO e APRENDENDO!
Faceira da vida!
Percorrendo novos e antigos caminhos...
Parando e criando
Bicicletários Imaginários,
em São Paulo!!! :D

...Dizem: "As cartas não mentem!"
Eu complemento: "Nem os olhos..."

#bicicletariosimaginarios #pegaabicicletaevai #forçanapaçoca

quarta-feira, 15 de junho de 2016

Me Deslocando, Poetizando...

...Vivendo São Paulo-SP.

Partiu!!! Exposição POÉTICAS DE DESLOCAMENTO - BICICLETÁRIOS IMAGINÁRIOS, presente no BICICULTURA 2016!


O que é o Bicicultura? Entenda um pouco assistindo o vídeo a seguir:


...Mais um pouco aqui [Bike é Legal]:


Buenas... Chegamos no aeroporto de Congonhas, em São Paulo, eu e a Sarah, minha magrela ruiva! Iniciamos a nossa jornada!


Peguei o mala-bike da esteira e saí montando a bicicleta...
 
[Meu Kit para desmontar, montar as rodas, trocar câmaras e pneus.]

Pessoas paravam para olhar, talvez por ser algo um pouco inusitado: uma mulher montando a sua própria bicicleta... Não sei, mas me senti em uma Performance Artística... hehehehe. (Quem sabe... filmar na próxima vez? É uma boa ideia!)


Ativei o GPS e fui costeando o aeroporto... Pedalei umas duas quadras, olhei  pros lados, observei a Avenida Washington Luís: uma avenida larga com várias faixas, com carros, ônibus e caminhões andando em alta velocidade... Deu medo, então decidi retornar ao aeroporto e esperar duas amigas que também estavam chegando de bicicleta. Aproveitei para lanchar e conversar com os meninos que engraxam calçados ali no aeroporto.

 
As amigas Tássia e Silvia [sócias da Vulp Bici Café] chegaram, então fomos de táxi para o Bar e Bicicletaria Las Magrelas. Lindo e convidativo espaço, com o melhor hamburguer de cogumelos do universo! #ficadica


Pedalamos do Bairro Pinheiros para o Bairro Vila Madalena, em direção ao nosso "Palácio do Bicicultura", casa da nossa amada amiga Isis, minha mais nova amiga de infância e irmã que escolhi <3.

Lar-doce-lar. Família linda de São Paulo... <3



No dia seguinte, depois do delicioso almoço da nossa Chef Tássia, partimos para o Aro 27 Bike Café. O ambiente é bastante aconchegante, colorido, com variedade de bicicletas e equipamentos. Tem o melhor Choconhaque no universo! Tive de repetir! #ficadica²


  [E acabei comprando um capacete, pois havia esquecido o meu em casa...]


A maioria dos bicicletários dos estabelecimentos em São Paulo são assim: cavaletes onde penduramos as bicicletas pelo selim.

Esperei o pessoal do Aro 27 fechar e então fomos todos para o "Las Ma"... Jantamos e do Las Ma, fomos para o QG do Bicicultura, no centro [Praça das Artes] para receber as coordenadas sobre a instalação da Exposição: "Poéticas de Deslocamento - Bicicletários Imaginários." Ficamos por lá até umas 4h30 da manhã e então voltamos para  o Palácio do Bicicultura de Uber Bike. Três horas de sono leve, tomamos um café e pedalamos até a Praça das Artes. 


Com as bicicletas devidamente estacionadas nos cavaletes, galera foi assistir a abertura do Bicicultura com Prefeito Haddad e eu fui montar a minha exposição.



Fotos presas no totem, agora só falta fotografar mais pela cidade e instalar projetor para reproduzir outras tantas fotografias... ;)


Passamos o dia conhecendo o centro, as salas, a feira, as atividades... Nossa! Muitas informações importantes partilhadas e caminhamos um monte! Meu corpo e a minha mente estavam a mil... Chegou uma hora que eu só desejava dormir... estava muito cansada, não conseguia nem pensar direito, apesar das ótimas companhias... heheheh.


No dia seguinte, dia de fotos, exposição, palestras, oficinas e entrevista para a amada Talita Noguchi, do canal Chave Quinze e do bar e Bicicletaria Las Magrelas:


"Não deixe de pedalar alegando que a sua cidade não tem estrutura... Pega a BICICLETA e vai!"
...À noite rolou a Bicicletada - Massa Crítica, saindo da Praça do Ciclista na Avenida Paulista. Foi lindo!


Finaleira do pedal, paramos para recarregar as energias...



No sábado eu me desgarrei da galera e fiz todo o percurso sozinha, do bairro Vila Madalena ao Centro:


Percorri a Rua Natingui... 


...em direção à Ciclovia Faria Lima...


Adorei a ciclovia com contador de ciclistas. Mesmo sendo uma manhã de sábado, pós feriado, passaram por ali 318 ciclistas!


Saí da ciclovia e segui pela Avenida Rebouças, em direção à Avenida Paulista...


...Quase na Paulista...



...Já na Ciclovia da Rua Consolação...


 "Ser FELIZ não é errado, errado é não AMAR." #SERFELIZ #MAISAMOR



Índio "Alta Mira", próximo à Praça Roosevelt...



De volta para a Praça das Artes... Abastecida e pronta para montar o projetor... Tchá!!! :D


Acontecendo...


Missão cumprida! Janta, casa, banho e Biciculfesta![Fui e voltei de Uber... tsi tsi tsi... Ah... Usamos e abusamos do Uber em São Paulo! Tem Uber Bag e Uber Bike, que funcionam super bem! O metrô também! Amei!]



No final da vivência Bicicultura 2016:  Pedal no minhocão! Com direito a vista da pintura da Mona Caron.


Encerramento... <3

[Vídeo final do Bicicultura, do  Instituto CicloBR]


De volta pras terras gaúchas... E o que ficou? Adorei pedalar em São Paulo, me senti mais segura que em Porto Alegre... Fiquei impactada com tantas pessoas lindas que conheci... Com tantas histórias, vivências, aprendizados, olhares e abraços compartilhados... Descobrir um pouco de cada mundo, os universos complexos e cheios de cor, luz e brilho. É confortante andar ao lado de pessoas tão inspiradoras e especiais. Ai, ai... ficou aquele maravilhoso gostinho de "quero mais"... Toda essa experiência mexeu muito comigo. Já estou produzindo uma uma lista de argumentos para voltar para Sampa: atividades, lugares para fotografar, locais que não conheci, rever boa parte da galera, pedalar muito... Preciso viver mais São Paulo. Gratidão à organização do Bicicultura 2016!!! Gratidão a todos que participaram!!! Gratidão ao universo!!! Saudades!!! ;) <3



"E é tão bonito quando a gente entende
Que a gente é tanta gente onde quer que a gente vá
E é tão bonito quando a gente sente
Que nunca está sozinho por mais que pense estar
É tão bonito quando a gente pisa firme
Nessas linhas que estão nas palmas de nossas mãos
É tão bonito quando a gente vai à vida
Nos caminhos onde bate, bem mais forte o coração"

Gonzaguinha

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Nós no programa...

...OCTOBIKE, da OCTO TV, do canal 36!!!

Como nasceu o Projeto "Poéticas de Deslocamento - BICICLETÁRIOS IMAGINÁRIOS"?

Vídeo > Parte 1

Como eu já usava a BICICLETA como meio de transporte, estava por dentro do PLANO DIRETOR CICLOVIÁRIO DE PORTO ALEGRE/RS, acreditava que os novos empreendimentos teriam estacionamentos direcionados ao público que se desloca em BICICLETAS. Fui, bem feliz, a um Shopping inaugurado na época, com aquela ânsia em conhecer o estacionamento. Chegando lá, não havia sequer um poste para prender a bicicleta. Chateada com a situação, amarrei duas travas na própria bicicleta, a fotografei e, no mesmo momento, publiquei no facebook. Em resposta, uma amiga jornalista, a querida Laura Schenkel, me questionou sobre o tamanho da fotografia e se poderia publicar no jornal, justamente discutindo esta ausência de um local adequado para as bicicletas. Então, parei e refleti sobre o que seriam estes lugares onde eu deixo amarradas as minhas bicicletas, os quais não são destinados a elas...

Então, dia 28 de maio de 2012, unindo o meu AMOR pelas BICICLETAS e pela ARTE, nasceu o site BICICLETÁRIOS IMAGINÁRIOS. A proposta inicial era documentar onde e como eu estaciono as minhas bicicletas, para discutirmos estes espaços públicos e, bem como, os privados. Com o tempo, fui aprimorando, estudando e contando sobre os lugares onde eu as prendo. [Visando a utilidade pública, sempre que descubro um bicicletário real, faço questão de fotografar e divulgar.]

Surgindo o interesse de amigos em também fotografar os seus bicicletários imaginários, nasceu a página no facebook, onde qualquer pessoa pode publicar  na linha de tempo suas fotografias. A página voluiu e agora publico diariamente fotos com mensagens de "Bom dia" e notícias referentes ao MUNDO das BICICLETAS. Na sequência, nasceu o Instagram: onde lanço fotos instantâneas.

Depois de tantas fotos, fui convidada a expor o meu projeto fotográfico no T Cultural Tereza Franco e  na Galeria Clébio Sória, ambos espaços dentro da Câmara de Vereadores de Porto Alegre/RS. Expus igualmente, em outro período, na ULBRA-Canoas/RS. Da mesma forma, uma das minhas bicicletas foi exposta como "Bicicletário Imaginário", na coletiva "LINDE - Cidade Especular" no Museu de Arte Contemporânea [dentro da Casa de Cultura Mario Quintana].  >veja as notícias das Exposições clicando aqui<



Vídeo > Parte 2


Iniciei fotografando em Porto Alegre, mas estendi para outros lugares: Gramado/RS , Canela/RS, Rio de Janeiro/RJ e em algumas cidades do Uruguai.  Pretendo seguir este projeto por onde o vento me levar... Conhecendo ciclistas de outras cidades, de outros estados, de outros países... Seguir trocando ideias, incentivando o uso das bicicletinhas, fotografando bastante e realizando mais exposições... ^_^ <3




Gratidão para equipe OCTO TV!!! Em especial: Diego Amaral, Yuri Niederauer, Marcos Hofmann e Niwmar Honatel!!! Adorei o resultado da nossa entrevista!!! Sucesso para vocês e para a OCTO TV!!! Um abração!!! Ísa <3